top of page

Para o Gil

[ maratona de performances ]

Homenagem à Gil Mendo

foto Beatriz Pequeno _ Culturgest I Lisboa 2023

por Ruy Filho


No auditório do Culturgest, o terceiro dia de homenagem a Gil Mendo é nomeado por Maratona de Performance, recuperando uma de suas práticas. Durante doze horas, mais de 60 performances são apresentadas juntando uma centena de artistas. A potência disso resume-se nos minutos finais: sobem ao palco boa parte daqueles que lá estiveram dançando. Idades, estilos, pesquisas, caminhos e interesses se misturam feito único corpo de aplausos e abraços. O dia pode ser compreendido também por outros aspectos: a organização realizada com incrível eficiência e as escolhas trazidas ao palco. As performances podem ser agrupadas em dois grupos: as que apresentaram excertos de criações passadas ou futuros trabalhos e ações de homenagem. Curiosamente, mesmo as performances sendo tão distintas, alguns elementos se repetiram: sons urbanos, vozes de multidões, sons de pássaros e canções. Sem intenção de qualificar ou comparar, algumas ações foram mais intensas pelo como abordaram a linguagem e se colocaram ao contexto. Dentre elas: “Multitudes”, de Sofia Dias e Vitor Roriz, com a turma do PACAP 6, foi um sopro capaz de interromper o evento trazendo-lhe delicadeza e o coletivo como algo de fato especial, naquilo que era o acenar de um adeus e de oi, entre nós e entre nós e Gil; “Um Pequeno Exercício de Composição”, de Vera Mantero e Teresa Silva, ficará na memória ao como o equilibrar de um imenso arco sobre seus corpos construiu na suspensão o complemento aos olhos que nos observavam como quem buscava aquele que se foi; “Enxertos”, de João Bento, fez da música um estado de presença particular que nos convidou a ouvir a ausência de Gil; “Letting Nature Take Over Us Again”, de Teresa Silva e Filipe Pereira, conquistaram a plateia com sua coreográfica inteligente e provocativa, nessa espécie de homenagem ao sorriso de Gil; e “Trajectória”, de Mário Afonso, soube dar ao mínimo gesto, outra qualidade de silêncio e espera próprios de uma saudade. Uma homenagem inesquecível sobretudo por todos os que seguem artistas conduzidos por Gil Mendo.

Comentarios


bottom of page