Lembro de você todos os dias

August 10, 2017

Direção: Zé Henrique de Paula

Texto: Fernanda Maia

CCBB- SP

 

 

 

 

Narrar fatos acerca da vida de sujeitos soropositivos utilizando um casal de homens gays. Mesclar ressentimento e sadismo. Em certa altura girar uma chave dramatúrgica que revelará que alguns momentos da trama foram então sonhados pelo protagonista. Acusação. Réplica, tréplica, um estranho reality show. Um padrasto cruel. Ações melodramáticas, canções melodramáticas, personagens agindo como estereótipos dos anos 70 e 80. Todos estes desenfreados clichês fazem parte da fraca dramaturgia que não só estende-se ao longo de duas horas como desmente o programa onde lê-se "70 minutos de duração". As vozes, ainda que afinadas e oportunas, perdem em bom gosto. Apesar das canções bem executadas, o espetáculo, apoiado em chiliques ou pseudo atitudes de enfrentamento, não parece estar certo da sua razão de existir. Oscila entre clichê e desbunde sem causa. Os figurinos pouco dizem. A luz diz em excesso. A direção parece contaminada pelo fraquíssimo texto, não ousa, não rompe, repõe e sacode a cabeça concordando com seu próprio naufrágio. Propõe uma estética que por atacar apenas o belo vê-se vulgar, sem horizonte. Sem contradição. Não expande, ao contrário, torna tudo chapado. O que resta para ser comentado, buscando fugir do natural ressentimento daqueles que durante duas horas precisaram ver o teatro esquecendo-se das estimativas*, é o ótimo desempenho do protagonista, a acertada banda (que está escondida pelo cenário) e as interpretações coesas do restante do elenco. Quem espera encontrar vestígio das tradicionais excelentes montagens do grupo, periga provar de um constrangimento sem fim. É belíssimo que haja a proposta de utilizar dramaturgia nacional e, sobretudo canções originais. Mas na hora de escolher é preciso estar com o rigor bem direcionado.

 

*SÃO PAULO - Heterossexuais adultos representam a maior parcela nas novas notificações de infecção pelo vírus HIV. Em 2012, 67,5% dos casos informados pela rede de saúde pertenciam ao grupo de heterossexuais, sendo a maioria formada por mulheres, com 58,2%...

 

https://oglobo.globo.com/brasil/virus-hiv-infecta-mais-grupo-dos-heterossexuais-diz-estudo-11785561

 

foto Giovana Cirne

Please reload